O TAU

 

Por volta da metade  do ano de 2011, Nanda da Paz recebeu dos Seres de Órion a primeira missão espiritual de sua vida: “Como precisamos despertar e reconectar o planeta novamente à energia das Divindades Cósmicas e da Grande Mãe, do feminino criativo e amoroso, precisamos chegar a alguns pontos do planeta onde a energia de expansão da consciência foram reprimidas e controladas.” E foi aí que tudo começou…

Tal missão, mercê de sua grandiosa e complexa envergadura, carecia de apoio de base, calcado em uma equipe de compleição dinâmica e eficiente. Com isso, foi proclamado um “chamado” orientado às consciências harmonizadas com a missão.

Enquanto planejava o percurso de ativação dos pontos planetários do orbe, Nanda TAUpassava horas e horas, dias e dias em seu espaço de trabalho, em um sítio em Vargem Grande – Região Oeste do Rio de Janeiro. Meditava energizada por seus cristais e se conectava com os Mestres recebendo as canalizações.

Faltando pouco tempo para seguir viagem para a Europa e iniciar o percurso, em um dia de jejum e em estado meditativo, imersa naquele espaço mágico, sentiu um frio enorme envolvendo-a e viu uma forte luz branca como um holofote sobre sua cabeça. Nessa hora um símbolo bem grande, a letra grega TAU na cor branca e envolvida em um círculo da mesma cor, surgiu no interior da luz branca acima da sua cabeça. O TAU foi baixando, entrando pelo topo da sua cabeça e envolvendo todo o seu corpo. Ela vibrava inteira…. a luz branca a envolvia e a acalentava… O símbolo começou a girar muito rápido em volta de seu corpo e a velocidade  a deixava tonta  e enjoada, até que , quando estava a ponto de desfalecer, o símbolo parou e se alojou inteiro, fundindo-se ao seu corpo.

Foi-lhe dito por Eles que a TAU Branca seria a chave para abrir os portais das catedrais e dos lugares com energias invertidas. Teria que ser utilizado para entrar nos lugares e também para a proteção do grupo. Contudo, à medida que o trabalho progredisse, mais e mais seria revelado durante o percurso que passou a se chamar VIA TAU. (Fred Ermel)