Via TAU no Rio de Janeiro: A cidade intraterrena de Magave

 

13823286_10209624467470356_2044262724_nQuando estive em Machu Picchi, em 2012, fui informada que deveria, em breve voltar ao Rio de Janeiro, para ativar os verdadeiros templos do Brasil. Eles me diziam que as montanhas deveriam ser reativadas, sobre o papel da cidade do Rio, e de muitas outras que eu deveria percorrer, em uma Etapa Brasileira.

A ideia me assustava. Uma cidade tão densa como o Rio (…) Mas relatavam ser um trabalho era muito importante. E que seria um lindo trabalho, como as etapas anteriores. Diziam que eu encontraria e ativaria  irmãos de luz, enchendo meu coração  e meus dias de alegria.

Sabia que os desafios seriam grandes.. eu não tinha (ainda) aqui a rede de trabalhadores da luz, nem a estrutura que eu tinha nas etapas anteriores. Mas eu confiava (e confio): quando o trabalho precisa ser feito, os trabalhadores aparecem.

TAU aparece na Pedra da Gávea após as ativações.

TAU aparece na Pedra da Gávea após as ativações.

Eu já havia recebido a informação que, no Brasil, eu deveria ativar os espaços sagrados, e que primeiramente eu deveria ATIVAR AS MONTANHAS SAGRADAS DO RIO DE JANEIRO.

Mas por que começar no Rio de Janeiro?

Eles me diziam o Rio de Janeiro era, outrora, um local sagrado: a Cidade das Águas Verdes. Sua energia teria sido invertida, como vimos tantas vezes durante a Via TAU. A inversão desse nódulo magnético fazia com que a energia dessa cidade continuasse densa, manifestando assim aspectos de baixa frequência, como a violência, erotismo, vícios, ignorância e tantos outros aspectos infelizmente tão comuns na cidade maravilhosa. Por isso a cidade atraía e atrai tantos seres que se identificavam com essa frequência, ficando cada vez mais densa.

Nesse processo, entrei em contato com muitos jovens. Irmãos da luz, tornamo-nos uma família arco íris, ativando as cores de nossos corações. Quando conheci os que iriam participar dessas ativações, percebi que eles “chegaram” (como Eles diziam) cada um em seu processo particular. Ativei muitos deles: oferecia formação em Reiki e ativação psíquica. Para que estivessem preparados para esse trabalho, e conectados com a missão, fazíamos reuniões de estudo e vivência semanais, muitas delas. Com isso, começamos o trabalho.

Veja aqui o relato dessa etapa Via TAU pelo Coletivo Ativacores.

Com os ativacores, ativei o Corcovado, Pão de Açúcar, Dois Irmãos, Pico da Tijuca. As informações foram chegando pouco a pouco. Quando fui ativar a Pedra Bonita, chacra do Coração do Gigante adormecido, fui informada que debaixo da cidade do Rio de Janeiro, havia uma cidade intra-terrena muito importante, a cidade de Magave. Por isso a importância dessa missão! Tudo bem debaixo do meu nariz.

P1050659Essa orientação revelou o rumo dos trabalhos. Falava do que representava a Pedra Oca e sobre a cidade intraterrena. Exatamente abaixo dessa Pedra, que era um templo sagrado, estaria um templo Piramidal que emanava energia dourada para todo o mundo. Por isso a importância de ativar as montanhas sagradas do Rio de Janeiro. Elas eram pólos magnéticos invertidos, emanando formas-pensamento de terceira dimensão, como tantas vezes vimos na Europa. Essa informação foi trazida pelo Comandante Hanayvratube, que logo comecei a canalizar. A partir daí Hanayvratube foi quem direcionou as Ativações das Montanhas Sagradas do Rio de Janeiro.

Esse foi o início da Via TAU no Brasil. Não deixe de assinar nossa lista e nos seguir nas redes sociais para receber novas informações e atuar conosco na Via TAU.

Limpar, reativar, reconectar o Planeta Terra

6 Comentários

Deixe um comentário